segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

O QUE É ARREPENDIMENTO?

Arrependimento é o sentimento ou pesar por faltas ou erros cometidos, o sincero pesar de algum pecado cometido. Embora esta definição seja absolutamente correta, entretanto, na sua forma prática, ela é muito mais significativa, muito mais expressiva e profunda, de tal maneira que cria uma verdadeira transformação na conduta das pessoas. A sua definição pode ser abstrata, mas os seus efeitos são notórios; e são exatamente nos seus efeitos que podemos constatar as grandes diferenças de um outro sentimento que tem a aparência semelhante, como é o caso do remorso. Ora, quantas pessoas têm-se iludido e também a muitos pelo simples fato de terem contraído o remorso ao invés do arrependimento. Quando alguém comete um pecado e se arrepende, nunca mais cometerá o mesmo pecado; todavia, se ela sente um remorso pelo pecado cometido, certamente mais tarde vai cometer o mesmo pecado, e ainda tantas vezes quantas ainda não tiver se arrependido. É o caso de Judas Iscariotes, que teve remorso por ter traído ao Senhor Jesus, conforme narrativas no Evangelho de Mateus: "Então Judas, o que o traiu, vendo  que Jesus fora condenado, tocado de remorso, devolveu as trintas moedas da prata aos principais sacerdotes e aos anciãos..." Mt 27.3. Ora, se o remorso não passa de um sentimento de culpa cobrado pela consciência, daí ele produz um mal estar durante um certo período de tempo e que logo é esquecido e não realiza nada mais. Mas o arrependimento é diferente e implica mudanças de comportamento em relação ao erro, que iremos ver a seguir.

CARACTERÍSTICAS DO ARREPENDIMENTO
1) Ver o pecado - Para que haja arrependimento é preciso, em primeiro lugar, que a pessoa  errada considere o seu erro; ou seja, é necessário que ela assuma o seu erro, corajosamente, analisando porque cometeu aquele delito, onde foi que começou a "cair em pecado". Muitos tentam tirá-lo da mente através do esquecimento, e aqueles que assim procedem têm a ajuda especial de Satanás, porque ele tem interesse que o pecado não seja confessado a fim de que as pessoas possam cometê-lo novamente.
Uma das coisas mais difíceis é a pessoa admitir o seu pecado ou erro, e a partir do momento em que ela o admite, então, é porque o Espírito Santo já está agindo através do convencimento, porque "...Quando Ele vier convencerá o mundo do pecado..." Jo 16.8.
2) Confessar o pecado - Após a admissão, o pecador precisa urgentemente confessá-lo, o mais breve possível para que ele seja cancelado. A Bíblia afirma" "Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça", 1Jo 1.9. Se nós admitimos o pecado e não confessarmos, então ele fica guardado no almoxarifado do coração; mais tarde, ele atrairá mais pecados.
3) Detestar o pecado - Se a pessoa comete um pecado, e depois de admiti-lo e confessá-lo não toma uma atitude em odiá-lo, então ele voltará bater à porta do pecador com força insistente. Nesse período deve-se resisti-lo! ..."eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo." Gn 4.7b. O grande problema é que o pecado sempre tem um sabor doce na boca, ou seja: no início; mas no final é como fel e os seus dissabores são tantos, quer não valem a pena.
Para que fique realmente caracterizado o arrependimento definitivamente, há que se odiar e abandonar ao mesmo tempo o pecado, até porque: "O pecado não tem domínio sobre nós..." Rm 6.14, e, por isso mesmo, não podemos jamais nos deixar levar pela sua astúcia.
É Deus quem nos conduz ao arrependimento, conforme está escrito: "Ou desprezas a riqueza da Sua bondade, e  tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?" Rm 2.4. Ora, se o arrependimento é um dom de Deus, é uma condição que Ele nos dá para podermos nos consertar com Ele, como poderemos então desconsiderar a Sua bondade omitindo o arrependimento em toda a sua plenitude?! É certo que quando assim procedemos estamos resistindo ao Espírito Santo, que é o agente que nos leva ao arrependimento.

Os perigos
"É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados e provaram o dom celestial e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa Palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que de novo estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus, e expondo a ignomínia. Porque a terra que absorve a chuva que frequentemente cai sobre ela, e produz erva útil para aqueles por quem é também cultivada, recebe bênção da parte de Deus; mas, se produz espinhos e abrolhos, é rejeitada, e perto está da maldição; e o seu fim é ser queimada", Hb 6.4-8. Estes versos afirmam claramente que há um determinado limite para arrependimento, pois o "renová-los para arrependimento" significa que já houve outros arrependimentos e que agora renová-los é impossível...  

Até a próxima!
Fica na paz!