quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Quem eram os misteriosos filhos de Deus em Gênesis 6?

Há muita controvérsia envolvendo esses versículos. Quem eram os filhos de Deus que se casaram com as filhas dos homens? Há duas abordagens básicas para isso, e uma terceira teoria mais recente.
A. A simples interpretação é que os filhos de Deus eram pessoas pertencentes à linhagem de Sete, enquanto as filhas dos homens eram moças impenitentes que pertenciam à linhagem de Caim. Proponentes dessa visão argumentam que:
  1. Essa é a maneira mais natural de interpretar a passagem.
  2. É reforçada pela afirmação de Jesus em Mateus 22.30.
  3. Por causa da lei da biogênese, a vida gera uma vida similar. (Observe a afirmação segundo/conforme a sua espécie em Gn 1.11,12,21,24,25).
  4. Moisés, o autor, não usou a palavra hebraica regular para anjo (malak), a qual ele, posteriormente, empregou pelo menos 28 vezes no Pentateuco.
  5. A palavra valentes, em Gênesis 6.4 (supostos filhos de anjos e mulheres), vem da palavra hebraica gibbor. A mesma palavra é usada dezenas de vezes no Antigo Testamento e sempre se refere a homens (veja Jz 6.12).
  6. A afirmação de Paulo em 1 Coríntios 15.38-40 E há corpos celestes e corpos terrestres - indicaria que esses dois tipos de corpos jamais poderiam coabitar.
B. A segunda e mais confusa interpretação defende que os filhos de Deus eram seres angelicais perversos e caídos, que cometeram atos imorais e antinaturais com mulheres em geral. Proponentes dessa visão argumentam que:
  1. A linguagem hebraica parece favorecê-la. a) A expressão hebraica ben-elohim (filhos de Deus) sempre se refere a anjos no Antigo Testamento (veja Jó 1.6; 2.1; 38.7; Dn 2.25). b) A palavra hebraica nephilim (traduzida como "gigantes" em Gn 6.4), na verdade, deveria ser traduzida como "os caídos". A palavra comum para um homem enorme é rapha. Assim, homens como Ogue e Golias eram descritos pela palavra rapha (veja Dt 3.11; 1Cr 20.6).
  2. Quase sempre há uma base para as lendas antigas bastante defendidas, por mais que elas tenham-se tornado estranhas e distorcidas. Alguns acreditam que varões de fama (Gn 6.4) são as bases históricas para as lendas de Hércules e outros filhos de deuses da mitologia. Isso corresponde a figuras babilônicas posteriores, como Gilgamesh, o suposto filho entre uma deusa e um mortal. Ele foi chamado de "dois terços deus e um terço homem".
  3. A opinião comum dos estudiosos judeus. Josefo, o grande historiador judeu, apresenta-a em seus textos. A Septuaginta (a tradução grega do Antigo Testamento hebraico, as Escrituras usadas pelos judeus) traduz Gênesis 6.2 como anjos de Deus.
  4. A interpretação da Igreja primitiva. Somente a partir do quarto século foi que outra visão além da teoria dos anjos de Deus foi oferecida. Dr.James M. Gray (ex-presidente do Moody Bible Institute) escreveu: "Há motivos para acreditar que [esta visão] não teria mudado [...] se não fosse por certas opiniões e práticas errôneas do cristianismo" (Spiritism and the Fallen Angels.p.48). Gray, então, sugere dois motivos: a) Adoração  aos anjos. Em algum momento após o quarto século, a Igreja começou a adorar anjos, então, o natural seria negar que um anjo poderia fazer coisas tão vis com um humano. b) Celibato. Se, de fato, esses filhos de Deus eram homens humanos, então os monges teriam uma justificativa bíblica para participar de atividades sexuais, apesar de seus votos oficiais de celibato.
  5. Várias passagens do Novo Testamento apoiam essa visão. Alguns acreditam que os espíritos em 1Pe 3.18-20 eram aqueles filhos de Deus em Gn 6. O motivo de sua iniquidade era uma tentativa satânica de corromper a carne humana e, assim, evitar que a encarnação prometida (Gn 3.15) acontecesse. Mas, aqui, Pedro fala que Cristo disse que esse plano abominável não se cumpriu (para outra passagem sugerida sobre esse tema, veja Jd 1.5-7)!
  6. Há dois tipos de anjos caídos: os desacorrentados e os que já estão acorrentados. Os desacorrentados, atualmente, têm acesso aos lugares altos e aos corpos dos homens impenitentes (veja Mc 1.23; Lc 8.27; Ef 6.12). Os acorrentados já estão encarcerados (veja 2Pe 2.4; Jd 1.5-7). Acredita-se que esses anjos estão acorrentados por causa do seu envolvimento em Gênesis 6.
C. Uma terceira e mais recente visão diz que os filhos de Deus, de fato, eram anjos caídos, que controlaram totalmente todos os homens maus que viveram antes do dilúvio.

Até à próxima!
Fica na paz!

Se desejar, leia no link abaixo, um assunto relevante: